Setor de serviços concentra a maior proporção de pequenos negócios da economia

O setor de Serviços continua em expansão na economia, impulsionado, principalmente, pela grande concentração de pequenos negócios. Em 2021, esse segmento de atividade reunia metade de todos os Microempreendedores Individuais (MEI) do país e 41% das micro e pequenas empresas (MPE). Esse dado foi revelado pelo Atlas dos Pequenos Negócios, elaborado pelo Sebrae.
De acordo com o documento, entre as 20 atividades com maior número de MEI, doze estão em Serviços, cinco no Comércio e três na Construção Civil. Já entre as micro e pequenas empresas, das 20 atividades com maior concentração de negócios desse porte, dez estão em serviço, nove em comércio e um na construção civil.
Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, o grande número de pequenos negócios nas atividades de Serviços é resultado das próprias características desse segmento. “Enquanto nos setores de Comércio e Indústria, o empreendedor tem um custo inicial com a compra de equipamentos e produtos ou aluguel de espaço, em Serviços, a empresa, muitas vezes, cabe na própria bolsa. Atividades como cabeleireira, chaveiro, produção de quentinhas, por exemplo, pode ser realizadas na rua, na casa do cliente ou do empreendedor”, comenta. “Além disso, esse segmento demanda, em geral, um nível menor de especialização, o que torna a atividade mais acessível a um maior público de potenciais empresários”, complementa o presidente do Sebrae.
As facilidades oferecidas pelo MEI atraíram Lucas Andrea, que trocou o trabalho no banco pelo empreendedorismo. Ele lançou a empresa na área de audiovisual em 2021 na cidade de São Paulo. “Eu faço serviço de publicidade para as pequenas e médias empresas do setor têxtil. Esses empreendimentos têm dificuldade de ter uma fotografia boa, de qualidade para competir com as grandes”, conta. Antes de abrir, o empreendedor investiu R$ 12 mil em equipamentos. Segundo Lucas, a empresa está indo bem.
Número recorde de MEI
O Atlas dos Pequenos Negócios mostra também que em 2021 havia 11,2 milhões de microempreendedores individuais (recorde histórico) e 7,2 milhões de microempresas e empresas de pequeno porte. Ainda segundo o levantamento, em 2021 foram abertos 3,1 milhões de novos MEI que responderam por quase 80% de todas as empresas criadas no ano passado. O maior contingente estava no estado de São Paulo: quase 870 mil MEI.
Cinco atividades com maior concentração de MEI
Comércio varejista de artigos do vestiário e acessórios – 6,9% (Comércio).
Cabeleireiros, manicure e pedicure – 6,9% (Serviço).
Obras de alvenaria – 4,2% (Construção).
Promoção de vendas – 4,1% ((Serviço).
Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar – 2,9% (Serviço).
Cinco atividades com maior concentração de MPE
Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios – 3,4% (Comércio).
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, minimercados, mercearias e armazéns – 2,8% (Comércio).
Lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares – 2% (Serviço).
Restaurantes e similares – 2% (Serviço).
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo – 1,9% (Serviço).
Fonte: Sebrae
Saiba mais no Site:https://portalcontabilsc.com.br/noticias/setor-de-servicos-concentra-a-maior-proporcao-de-pequenos-negocios-da-economia/

Compartilhe

Continue Lendo